terça-feira, 26 de maio de 2015

Atrizes Lendárias do Cinema Americano:

Fiz uma lista com algumas atrizes que já tive a oportunidade de apreciar o trabalho delas. São atrizes lendárias e que eu gosto muito. Os títulos originais dos filmes estão entre aspas e os títulos no Brasil entre parênteses. Segue abaixo a lista, e fiquem a vontade para interagir!

                                             
Lillian Gish: nascida como Lillian Diana de Gish, em 14 de outubro de 1893 em Springfield, Ohio. Começou sua carreira em 1912 no filme “An Unseen Enemy”, juntamente de sua irmã Dorothy Gish. Participou de clássicos do cinema mudo como “The Birth Of a Nation” (PT:O Nascimento de Uma Nação) (1915) e  “Intolerance” (PT:Intolerância) (1916) ambos de D.W. Griffith, diretor que consagrou sua carreira. Fez a transição para os filmes sonoros que fez pelas décadas seguintes. De 1912, sua carreira prolongou-se até 1987, finalizando sua carreira com o filme “The Walles of August” (PT:Baleias de Agosto). Também foi atriz de teatro e dirigiu um filme (Remodeling Her Husband), em 1920. Recebeu o Oscar Honorário por sua contribuição ao Cinema. É considerada a “Primeira Dama das telas”e foi considerada pelo AFI (American Film Institute) como a 17° Lenda Feminina do cinema americano. Tem uma estrela na Hollywood Boulevard. Faleceu em 27 de fevereiro de 1993, em Nova York, aos 99 anos sem jamais ter sido casada ou ter constituído família. 

Bette Davis: nascida Ruth Elizabeth Davis, em 05 de abril de 1908, em Lowell, Massachusetes. Foi uma atriz de filmes, teatro e de televisão, sendo lembrada pelos seus papéis de mulheres irônicas e antipáticas, em clássicos como “Jezebel” (1939) e” All About Eve” (PT: A Malvada) (1950). É considerada um das maiores atrizes da Era Dourada de Hollywood (1930-1960), também como a “A Rainha de Hollywood”. Co-fundou a Hollywood Canteen, uma organização para angariar fundos para o Exército dos Estados Unidos durante a Segunda Guerra Mundial. Bette tinha uma grande rival dentro dos estúdios da Warner Brothers: Joan Crawford, a qual dividiu cena em “O Que Terá Acontecido a Babby Janne?” (1960). Ganhou o Oscar de Melhor atriz por duas vezes, uma por “Jezebel” (1939) e outra por “Dangerous” (PT:Perigosa) (1936). Tem duas estrelas na Hollywood Boulevard. Bette Davis foi eleita pelo AFI como a 2° Lenda Feminina do Cinema Americano. Morreu em 06 de outubro de 1989, aos 81 anos em Neuilly-sur-Seine, na França. 

Marlene Dietrich: nascida Marie Magdalene Von Losh, em Berlim (então Império Alemão) no dia 27 de dezembro de 1901, foi uma atriz e cantora naturalizada alemã. Começou sua carreira em filmes mudos alemães. Fez uma boa transição para os filmes falados, iniciando sua parceria com o diretor alemão Josef Von Sternberg, sendo levada por este para Hollywood para ser uma espécie de rival de Greta Garbo, e o qual a dirigiu em filmes como “Marrocco” (PT: Marrocos) e “The Blue Angel” (PT:O Anjo Azul),(ambos de 1930), “Shangai Express” (PT:O Expresso de Shangai) “The Blond Vênus” (PT:A Vênus Loira) (ambos de 1932), entre outros. Fez inúmeros filmes durante as décadas de 1930, 1940 e 1950. Durante a ascensão do nazismo, Adolf Hittler a convidou para trabalhar em filmes pró-nazistas, mas com a recusa de Dietrich, considerou como traidora da pátria. Com isso, conseguiu a cidadania americana. Durante as vistas que fazia as tropas americanas, ela cantava para os soldados, descobrindo assim sua vocação para cantar. Após isso, passou a cantar em cabarés em Hollywood e Berlim. Retirou-se da vida artística em 1978. Marlene Dietrich é considerada uma das maiores atrizes de todos os tempos, sendo considerada a 9° Lenda Feminina do Cinema Americano, pelo AFI. Foi indicada ao Oscar de Melhor Atriz, por sua atuação em “Marrocos” (1930).Tem uma estrela na Hollywood Boulevard. Marlene Dietrich morreu aos 90 anos, em 06 de maio de 1991, em Paris, na França.



Greta Garbo: nascida Greta Lovisa Gustafsson, em Estocolmo, na Suécia em 18 de setembro de 1905. Iniciou sua carreira em filmes mudos na Alemanha pós-Primeira Guerra Mundial, a partir de 1920, sob o nome artístico de Greta Gustafsson. Em 1925 foi levada para Hollywood, por o diretor finlandês Mauritz Stiller. Logo foi contatada pela Metro-Goldwyn-Mayer (MGM), da qual se tornou um das maiores estrelas, juntamente de John Gilbert, o qual se tornaria seu grande amor e parceiro, em filmes como “The Flash and the Evil” (PT:A Carne e o Diabo) e “Love” (PT:Amor)( ambos de 1927). Garbo, com a chegada dos filmes falados, conseguiu alavancar sua carreira, ao contrario de John Gilbert, que entregou-se as bebidas e acabou morrendo em 1936. Seu primeiro filme falado foi “Anne Christie” (1930), seguindo outros  sucessos da Era Dourada de Hollywood. Greta Garbo fez sua última aparição em filmes em “Duas Vezes Meu” (1941). A partir de então retirou-se da vida artística, vivendo de maneira reservada em seu apartamento em Nova York. Greta Garbo, tornou-se um mito do cinema, sendo indicada ao Oscar de Melhor Atriz por 3 vezes: uma em 1930 por Anna Christie, o qual foi vencida por Norma Shearer; em 1937, por “A Dama das Camélias, o qual ficou com Luise Rainer e em 1939, por sua atuação em “Ninotchka”, que ficou para Vivien Leigh, de “... E o Vento Levou” (1939). Em 1954, recebeu o Oscar Honorário por sua contribuição ao Cinema. Tem uma Estrela na Hollywood Boulevard. Foi eleita a 5° Lenda Feminina do Cinema Americano, pelo AFI. Morreu em Nova York, em 15 de abril de 1990, aos 84 anos de idade. 

Joan Crawford: nascida Lucille Fay LeSueur em 23 de março de 1905 em San Antônio, nos Estados Unidos. Iniciou sua carreira como bailarina, até conseguir papéis em filmes mudos em 1925, assinando contrato com a Metro-Goldwyn-Mayer, num contrato de 5 anos. Fez mais de 15 filmes entre 1925 e 1929, tais como “Sally, Mary and Me” (PT:Sally, Mary e eu) (1925) e ”O Andarilho” (1926). Em 1929, fez seu primeiro filme sonoro, intitulado “The Hollywood Revue of 1929”, onde contracena e canta ao lado de atrizes como Greta Garbo e Marion Davies. Na década de 1930, fez outros grandes sucessos, como “Grand Hotel” (PT:Grande Hotel) (1932) e “The Women” (PT:As Mulheres) (1939). Foi indicada três vezes ao Oscar de Melhor Atriz, vencendo apenas em “Almas em Suplício” (1945). Em 1960 protagonizou ao lado de sua grande rival Bette Davis, o filme “O Que Terá Acontecido a Baby Janne?”(1960). Joan Crawford, a atriz de cinema, televisão e teatro, foi considerada pelo AFI como a 10° Lenda Feminina do Cinema Americano. Joan Crawford morreu em 10 de maio de 1977, aos 72 anos em Nova York. 



Audrey Hepburn: nasceu em 04 de maio de 1929 em Ixelles, Bruxelas, Bélgica, como o nome de Audrey Kethleen Ruston, foi naturalizada britânica durante a Segunda Guerra Mundial. Além de atriz foi modelo e humanista, lembrada pelos seus trabalhos humanitários pela UNICEF. Protagonizou diversos clássicos do Cinema, tais como “Breakfast at Tifanny’s” (PT: Bonequinha de Luxo)(1961), “Roman Hollyday” (PT:A Princesa e o Plebeu) (1954)  e “Sabrina” (1953). É considerada um das mais belas atrizes da história do Cinema. Recebeu o Oscar de Melhor Atriz por “Roman Hollyday” e 1954, além do Tony, Grammy e Globo de Ouro. Foi considerada pelo AFI como a 3° Lenda Feminina do Cinema Americano. Tem uma Estrela na Calçada da Fama na Hollywood Boulevard. Audrey Hepburn, a lendária atriz de Hollywood morreu em 20 de janeiro de 1993, aos 63 anos, vítima de um câncer apendicite, aos 63 anos de idade. 

Mary Pickford: nasceu em 08 de abril de 1892, em Toronto no Canadá, como o nome de Gladys Marie Smith. Mary Pickford é lembrada pelo grande sucesso que fez durante os primeiros anos do Cinema, ainda na era dos filmes mudos, também por seu casamento com o astro Douglas Fairbanks, que, juntamente com Charlie Chaplin, fundaram a United Artists, um dos primeiros estúdios cinematográficos de Hollywood. Tinha longos cachos dourados, os quais ela conservou até 1928. Era conhecida com “A Queridinha da América” ou “A Pequena Mary”.  Fez mais de 200 filmes mudos, até sua aposentadoria em 1933. Foi a atriz mais bem paga da era dos filmes mudos. Com a chegada do cinema falado a fama de Mary Pickford entrou em declínio. Seu último grande sucesso foi o filme falado “Coquette” (1929), o qual lhe rendeu o Oscar de Melhor Atriz em 1930. Após a sua aposentadoria das telas e a separação de Douglas Fairbanks, casou-se com Buddy Rogers, mas nunca teve filhos, devido a abortos que teve ainda na década de 1910. Morou durante todo o resto de sua vida na Pickfair, mansão que construiu junto de seu primeiro marido, em Beverly Hills. Mary Pickford foi eleita pelo AFI como a 24° Lenda Feminina do Cinema Americano, e possui uma estrela na Calçada da Fama, na Hollywood Boulevard. Morreu em 25 de maio de 1979, aos 87 anos, em Santa Mônica na Califórnia.



Glória Swanson: nasceu em 28 de março de 1899, Chicago, sob o nome de Gloria Josephine Mae Swanson. Tornou-se atriz em 1914, tendo obtido grande sucesso em filmes mudos na década de 1920. Protagonizou juntamente de Rudolph Valentino o filme “Beyond the Rocks” (PT: A esposa e Mártir) (1921), o qual estava perdido até ser encontrado em uma coleção particular na Holanda em 2003. Com chegada dos filmes sonoros, conseguiu manter sua carreira em perfeito prumo, porém abandou a vida cinematográfica em 1933, virando uma mulher de negócios. Volta e meia, voltava  a atuar em produções que lhe agradasse. Em 1950 fez um dos grandes sucessos de sua carreira: “Sunset Boulevard” (PT: Crepúsculo dos Deuses), o qual lhe rendeu o Oscar de Melhor Atriz Dramática, em 1952. Nas décadas seguintes ainda participou de alguns filmes, sendo o último “Airport 74” (1974), onde interpretou a si mesma. Glória Swanson, juntamente com Mary Pickford foram as grandes inspirações de moda nos anos 1920. Tem duas Estrelas na Calçada da Fama, uma por sua atuação no cinema e outra por sua atuação na televisão. Faleceu em 04 de abril de 1983, aos 84 anos em Nova York.



Carole Lombard: nascida como Jane Alice Peters, em 06 de outubro de 1908, Fort Wayne, Indiana, foi uma lendária atriz norte-americana, que começou sua carreira em filmes mudos, na década de 1920, ainda sobe o nome de Jane Peters, e mais tarde Carol Lombard. Fez sua estreia em 1921, no filme “A Perfect Crime” (PT: Crime Perfeito). Participou de vários filmes mudos pela Fox Films e seu primeiro filme sonoro foi “High Voltage” (PT: Alta Voltagem) (1929). Nos filmes sonoros conseguiu sua consagração em filmes de maior sucesso. Em 1930 assinou seu contrato com a poderosa Paramount Pictures, vindo conhecer seu futuro marido, o ator William Powell, o qual esteve como parceiro em vários filmes desse estúdio. Fez grande sucesso nas comédias Screwball dos anos 1930. Em 1936 casou-se com Clark Gable, o grande amor de sua vida. Foi indicada ao Oscar de Melhor Atriz por “My Man Godfray  “(1936) mas acabou perdendo. Seu último sucesso foi o filme Mr. & Mrs. Smith (PT:Um Casal do Barulho) (1940). Em 16 de janeiro de 1942, ao levantar voo, o avião que transportava Carole Lombard e sua mãe, chocou-se contra a Montanha Potosi, em Nevada, levando a morte de todos os ocupantes da aeronave, inclusive a estrela de apenas 33 anos, deixando Clark Gable inconsolável com a morte de sua esposa. Carole Lombard foi eleita pelo AFI como a 23° Lenda Feminina do Cinema Americano.



Gingers Rogers: nasceu em 16 de julho de 1911, em Independence, sob o nome de Virgínia Katharine McMath. Começou sua carreira em 1929 com o filme “A Day Of Man Of Affairs”. Foi uma atriz, cantora e dançarina muito famosa por sua parceria com Fred Astaire em dezenas de musicais que protagonizaram pela Paramount na década de 1930. Fez papéis dramáticos, dentre os quais podemos citar “Kitty Foyle” em 1941, o qual lhe rendeu o Oscar de Melhor Atriz em 1941. Trabalhou em dramas, comédias e musicais até sua aposentadoria em 1971. Foi casada por 5 vezes. Ginger Rogers foi eleita pelo AFI como a 14° Lenda Feminina do Cinema Americano. Morreu em 25 de abril de 1995, aos 83 anos em Rancho Mirage. 

Olivia de Havilland: nascida como Olivia Mary de Havilland, em Tóquio no Japão, no dia 01 de julho de 1916, é uma atriz britânica. Ao Aldo de Errol Flynn, protagonizou clássicos da Era de Ouro de Hollywood, tais como “The Adventures of Robin Hood” (PT: As Aventuras de Robin Hood) (1938). Fez um bom trabalho no grande clássico “... Gone With The Wind” (PT...E O Vento Levou) (1939), como Melanie, o qual lhe rendeu indicação ao Oscar de Melhor Atriz. É irmã da também atriz Joan Fontaine, a qual nunca teve uma boa relação, ambas admitindo publicamente sua rivalidade mútua. Recebeu o Oscar de Melhor Atriz duas vezes, uma por sua atuação em “To Each His Own” (PT: Só Resta Uma Lágrima) (1946) e em “The Heiress” (PT: Tarde Demais) (1949), este último também lhe rendeu o Oscar Drama. Possui uma Estrela na Calçada da Fama de Hollywood Boulevard. Olívia é uma das atrizes mais respeitadas, nos seus 98 anos de idade, reside atualmente na França.



Louise Brooks: nascida em 14 de novembro de 1906 como Louise Mary Brooks, em Cherryvale, foi um a atriz, dançarina e modelo, muito famosa em filmes mudos da década de 1920 pelos estúdios da Paramount e por seu corte de cabelo, curto e liso que foi febre na década. Fez filmes de 1925 até 1938, dona de uma personalidade forte, não aceitava os baixos salários oferecidos as atrizes da época, fazendo várias exigências, as quais não foram atendidas. Em 1928 embarcou para a Alemanha, onde protagonizou um dos maiores sucessos de sua carreira o filme “Pandora’s Box” (PT: A Caixa de Pandora). Pelo fato da recusa de volta de Louise aos filmes americanos, junto com a chegada dos filmes sonoros, os agentes publicitários espalharam o boato de que sua voz era horrível, fazendo assim sua carreira declinar. Em 1938 aposentou-se da carreira artística, passou a dar aluas de dança. Viveu o resto de sua vida de maneira discreta. A eterna “Lulu”, como ficou conhecida, morreu em decorrência de um ataque cardíaco, em 08 de agosto de 1985, aos 78 anos em Nova York

Barbara Stanwyck: nascida Ruby Stevens, em Nova York, aos 16 de julho de 1907, começou sua carreira como uma modelo Zieglfield Girl, e no teatro, ainda nos anos 1920. Em 1927 estreou no filme mudo “Broadway Nights” da Paramount, o qual não rendeu grande sucesso. Seu sucesso viria na década de 1930, o primeiro seria sob a direção de Frank Capra em “Ladies of Leirsure” (PT: A Flor dos Meus Sonhos) (1930), contracenando com a consagrada atriz Marie Prevost.  Na série de TV “Big Valley” (década de 1960), lhe rendeu dois EMMY’s. Recebeu 4 indicações ao Oscar de Melhor Atriz, mas não levou nenhum, recebendo apenas o Oscar Honorário por sua contribuição ao Cinema, em 1982. Sua longeva carreira prolongou-se de 1922 até 1986. Foi eleita pelo AFI como a 11° Lenda Feminina do Cinema Americano. Faleceu em 20 de janeiro de 1990, em Santa Mônica, Califórnia, aos 82 anos.



Theda Bara: nasceu em 29 de julho de 1885 em Cincinnati, Ohio, nos EUA sob o nome de Theodósia Burr Godmann. Foi uma das primeiras grandes estrelas do cinema mudo, considerada também como uma das primeiras vamps ou “femme fatalle”. Sua carreira se deu entre 1914 e 1926, ano de sua aposentadoria. Protagonizou filmes famosos da época como “Cleópatra”  e “The Tiger of Women” (PT: Coração de Tigre) ambos de 1917. Sua popularidade é comparada a de Charlie Chaplin (1889-1977), outro grande destaque dos filmes mudos. Dos mais de 40 filmes que trabalhou apenas 6 chegaram aos nossos dias. Casou-se, em 1921 com o diretor britânico Charles Brabin e a partir daí sua carreira começou a decair. Seu último filme foi “Madame Mystery”, em 1926. Nas décadas seguintes viveu entre Hollywood e Nova York desfrutando de luxo e riqueza. Possui uma Estrela na Calçada da Fama. Morreu em 07 de abril de 1955 aos 59 anos, em decorrência de um câncer estomacal na cidade de Nova York.



Clara Bow: nasceu como Clara Gordon Bow, em 29 de julho de 1905, no Brooklyn em Nova York. Foi uma das grandes atrizes do cinema mudo, na década de 1920. Lembrada por seus papéis nos filmes “It” e “Wings” (PT: Asas) (ambos de 1927), pela Paramount. A atuação da ruiva de olhos expressivos em “It”, rendeu o apelido de “It-Girl”.  Já “Wings”, foi o primeiro filme a ganhar o Oscar de Melhor Filme, em 1929. Fez alguns filmes sonoros, mas sua carreira começou a ruir em meados da década de 1930. Sua saúde mental e casamento com Rex Bell, também ator, são apontadas como um dos adutores de fracasso em filmes sonoros. Sua última aparição em um filme foi em “Hoop-La” (1933), o qual não agradou o público. Após sofrer por causa de esquizofrenia por um longo período de sua vida, veio a falecer no dia 27 de setembro de 1965, aos 65 anos de idade. 

Pola Negri: nasceu em Lipno, na Polônia, sob o nome de Barbara Apolônia Chalupiec, no dia 31 de janeiro de 1896, sendo uma das primeiras atrizes/cantoras europeias a serem levadas para Hollywood. Iniciou sua carreira nos EUA nos estúdios da Paramount, e foi considerada a grande rival de outra grande atriz da época, Theda Bara. Assim como a rival norte-americana, na maioria dos filmes que fez apareceu como uma vamp. Seus principais filmes foram “Bella Donna” (PT: Bela Diana) (1923) e “Hotel Imperial” (1927). Teve romance com dois astros da época: Rudolph Valentino (1895-1926) e Charlie Chaplin (1889-1977). Fez a transição para os filmes sonoros, mas em menor número de participações, pois eu sotaque a prejudicou um pouco. Na década de 1930 voltou a Europa, onde fez alguns filmes alemães. Após a Segunda Guerra Mundial voltou aos EUA, onde fazia aparições esporádicas em filmes nas décadas seguintes. Pola Negri morreu em 01 de agosto de 1987, aos 90 anos em San Antônio, no Texas. 

Vivien Leigh: foi uma atriz britânica nascida em Darjeeling, na Índia (então possesão do Império Britânico), no dia 05 de novembro de 1913, como Vivian Mary Hartley. Foi uma das mais marcantes atrizes de Hollywood, tanto no cinema quanto no teatro, na sua fase áurea, mesmo não tendo feito muitos filmes, os quais são considerados clássicos do cinema, tais como “...Gone With The Wind” (PT: ... E o Vento Levou) (1939), onde interpreta a personagem principal, Scarlett O’Hara que lhe consagrou como uma grande atriz. Casada em segundas núpcias com o também ator e barão Laurence Oliver (1907-1989) de 1940 até 1960. Recebeu dois Oscar de melhor Atriz, uma por sua atuação em “...Gone With The Wind” (1939) e “A Street Car Named Desire” (PT:Uma Rua Chamada Pecado) (1952). O casamento com Laurence Oliver terminou, pois houve um grande desgaste de ambos. Fez algumas comédias, mas é mais lembrada por suas heroínas sheakesperianas. Sofreu de tuberculose por anos,  a qual ceifou sua vida, no dia 08 de julho de 1967, aos 53 anos. “Lady Oliver” ou “Viv” como também era conhecida, foi eleita pelo AFI como a 16° Lenda Feminina do Cinema Americano.



Lucille Ball: nasceu Lucille Ball Desireé em 06 de agosto de 1911, em Nova York, foi uma atriz de televisão, teatro e cinema, sendo considerada a “Primeira Dama da Televisão nos EUA”, ou ainda “A Rainha da Comédia”. Fez carreira ainda muito jovem nos anos 1920, no teatro. Na década de 1930 fez alguns papéis secundários em filmes pelos estúdios RKO Pictures. Fez uma participação no filme “Three Little Pigskins (1934) ao lado dos Irmãos Marx. Seu sucesso nas telonas veio pelo filme “Stage Door” (PT: No Teatro da Vida) (1937). Fez mais uma série de filmes entre as décadas de 1930 e 1940, assinando contrato com a Universal Studios. Lucille fez um enorme sucesso em seu programa de televisão, ao lado de seu marido Desi Arnz: “I Love Lucy” (PT: Eu Amo a Lucy)  (1951-1957), um sitcom pelo qual é lembrada até hoje. Apareceu em muitos filmes após a década de 1950. Recebeu o Prêmio Cecill B. DeMille em 1979. A grande comediante e atriz Lucille Ball morreu em 26 de abril de 1989, aos 77 anos em Beverly Hills, Califórnia.



Hedy Lamarr: nasceu em 09 de novembro de 1913, em Viena, Áustria, sob o nome de Hedwig Eva Maria Keisler, foi uma atriz e inventora austro-americana, considerada a mulher mais bela da Europa no início da década de 1930. Seu nome artístico foi posto em homenagem a atriz de cinema mudo Barbara Lamarr, que morreu de overdose em 1926. Heddy foi a protagonista do filme tcheco “Ecstasy” (PT: Êxtase) (1933), no qual aparece em cenas de sexo e com os seios a mostra. O filme provocou um grande impacto e foi proibido em vários países. No se segundo casamento com um autoritário simpatizante do nazismo, acabou fugindo em 1937. Logo foi para Hollywood onde foi contratada pelos estúdios da poderosa Metro Goldwyn Mayer (MGM), pelo qual fez sucesso nos filmes “Boom Town” (1940) e “Tortilla Flat” (1942). Sob a direção de Cecil B. DeMille protagonizou seu maior sucesso “Samson and Delillah” (PT: Sansão e Dalila) (1949), interpretando Dalila. Além de atriz, Hedy foi uma célebre inventora. Em 1940, ao lado do compositor George Antheil, criou e patenteou um sistema de interferência de rádio, que foi usado pelos Aliados para despistar radares nazi-alemães na Segunda Guerra Mundial. Essa invenção possibilitou a base para a futura criação dos sistemas de Wi-Fi e telecelulares. Sua carreira com atriz foi esfriando nas décadas seguintes, aparecendo em poucos filmes. Hedy Lamarr possui uma Estrela na Calçada da Fama na Hollywood Boulevard. Faleceu em 19 de janeiro de 2000, aos 85 anos em Altamonte Springs, Orlando, EUA.

Norma Shearer: foi uma atriz norte-americana, nascida em Montreal, no Canadá, em 10 de agosto de 1902, com o nome de Edith Norma Shearer. Teve seu início de carreira nos filmes mudos em 1919, tendo sua carreira igualada a de Mary Pickford. Seus filmes mais lembrados são “The Wolf Men” (PT: O Lobisomem) (1924) e “Lady Of The Night” (PT: A Dama da Noite) (1925). Em 1929, por intermédio de seu marido e produtor Irving Thalberg assinou contrato com a MGM, e fez uma bem sucedida transição para o cinema falado. Era conhecida com a “Rainha da MGM”. Em 1930 protagonizou o filme “The Divorcee” (PT: A Divorciada), filme pelo qual ganhou o Oscar de Melhor Atriz em 1931. Norma Shearer foi segunda mulher a ganhar o Oscar de Melhor Atriz da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas.  Em 1936 seu marido morre e ela se afasta das telas por dois anos, voltado em 1938 com o filme “Marie Antoinette”  (PT: Maria Antonieta) (1938). Aposentou-se das telas em 1942, ano que casou-se  pela segunda vez, com Martin Arrouge, 20 anos mais jovem que ela.  Norma Shearer uma das mais lendárias atrizes de Hollywood possui uma Estrela na Calçada da Fama de Hollywood Boulevard. Faleceu em 12 de junho de 1983,aos 80 anos, vítima de um derrame, em Woodland Hills, Califórnia.



Claudette Colbert: nasceu em 13 de setembro de 1903, em Saint-Mandé, na França, sendo seu nome verdadeiro Émille Claudette Chauchoin. Era naturalizada americana, considerada uma das lendárias atrizes de Hollywood. Sua carreira começou nos palcos da Broadway, no final dos anos 1920. Iniciou no cinema juntamente com os filmes sonoros, entrando em cena para os filmes da Paramount Pictures, sendo uma das atrizes mais bem pagas da época. Estrelou ao lado de Clark Gable o filme “It Happened One Night” (PT: Aconteceu Naquela Noite) (1934), uma comédia screwball, que lhe rendeu o Oscar de Melhor Atriz em 1935. Sua carreira artística em Hollywood é lembrada por a versatilidade de atuação, indo do drama á comédia. Fez sucesso em dramas, como “Private World” (PT: Mundos Íntimos) (1935) e “Since You Went Away” (PT: Desde que Partisse) (1944). Vendo que sua carreira já não era mais a mesma, saiu do mundo do cinema na década de 1950, fazendo poucos filmes nas décadas seguintes. Seu último filme foi “Two Mrs. Greenvilles” (1987), o qual lhe rendeu o Globo de Ouro como a Melhor Atriz Coadjuvante. Tinha 60 quando foi morar com seu marido em Barbados. Possui uma Estrela na Calçada da Fama de Hollywood Boulevard. Faleceu em 30 de julho de 1996, aos 92 anos de idade na cidade de Speighstown, Barbados. Foi eleita pelo AFI como a 12° Lenda Feminina do Cinema Americano. 

Grace Kelly: Grace Patrícia Kelly nasceu em 12 de novembro de 1929, na Filadélfia, Pensilvânia, EUA. Estrelou inúmeros filmes, entre eles os mais famosos e lembrados são “The Country Girl” (PT: Amar é Sofrer) (1954) e “Rear Window” (PT: Janela Indiscreta) (1954). Por este primeiro filme ganhou o Oscar de Melhor Atriz, em 1955. Participou de inúmeros filmes antes de se casar, na década de 1950. Era considerada a “Musa De Hitchcok”, o qual a dirigiu nos seus maiores sucessos. Aposentou-se das telas quando se casou com o Príncipe Rainer III de Mônaco, tornado-se a Princesa Grace de Mônaco. Teve 3 filhos com Rainer III, Caroline, Albert e Stéphanie. Um das mais belas, elegantes e influentes atrizes da Era de Ouro de Hollywood morreu num acidente automobilístico, no dia 14 de setembro de 1982, em Monte Carlo (Mônaco), aos 52 anos de idade. Sua morte foi lamentada por inúmeros astros e estrelas de Hollywood. Possui uma Estrela na Calçada da Fama de Hollywood Boulevard. Possui uma Estrela na Calçada da Fama de Hollywood Boulevard. Foi eleita pelo AFI como a 13° Lenda Feminina do Cinema Americano. 

Josephine Dunn: nasceu em 01 de maio de 1906 na cidade de Nova York. Fez carreira ainda nos anos 1920, estreando no filme mudo “Fascinating Young” (PT:Juventude Fascinante) (1926). UM dos seus filmes de maiores sucessos foi “Safety In Numbers” (1930), ao lado de Carole Lombard, marcando sua estreia em filmes sonoros. Sua carreira durou até 1938, quando casou-se pela terceira vez. Faleceu em 03 de fevereiro de 1983, aos 76 anos em Thousand Oaks, Califórnia.



Carla Laemmle: Rebecca Isabelle Laemmle nasceu no dia 20 de outubro de 1909 em Chicago nos EUA. Era sobrinha do diretor de filmes de terror e fundador da Universal Pictures Carl Laemmle, o qual a dirigiu em alguns filmes, tais como “The Phantom of Opera” (PT: O Fantasma da Ópera) (1925). Carla também participou de outros filmes de terror, tais como “Drácula” (1931). Esteve na atividade de atriz de 1925 a 1939. Em 2001, já contando com mais de 90 anos, participou do filme “The Vampires Hunters of Club”, no qual ela interpretava uma vampira idosa. Participou do documentário da BBC “A History of Terror com Mark Gattis” em 2010, partilhando suas memórias sobre os primeiros filmes de terror. Carla Laemmle faleceu em 12 de junho de 2014, aos 104 anos de idade em Los Angeles, EUA. 

Rita Hayworth: nasceu Margarita Carmen Cansino, em 17 de outubro de 1918, em Nova York. Rita foi uma das ruivas mais belas e lendárias de Hollywood, participou de diversos filmes, principalmente de filmes noir, na década de 1940. Dos vários trabalhos de sua carreira, destacam-se os filmes: “Blood and Sand” (PT: Sangue e Areia) (1941), “Gilda” (1946) e “The Lady of Shangay” (PT: A Dama de Shangai) (1948). Era considerada a “Rainha da Columbia Pictures”, estúdio pelo qual fez inúmeros filmes. Seu último trabalho em filmes se deu em “The Wrath of God” (PT: A Ira Divina) (1972). A eterna Gilda, papel que a imortalizou, sofria de Mal de Alzheimer, e faleceu no dia 14 de maio de 1987, aos 68 anos em Nova York. Foi eleita pelo AFI como a 19° Lenda Feminina do Cinema Americano.



Loretta Young: nascida como Gretchen Young, no dia 06 de janeiro de 1913, em Salt Lake City, EUA, foi uma atriz de filmes mudos e sonoros, com grande carreira em Hollywood. Iniciou sua carreira ainda criança, nas pioneiras produções de Hollywood, tendo a idade de 4 anos, no filme “The Primrose Ring” (1917). Na década de 1920, participou de outros filmes, mas seu sucesso viria em filmes falados na década de 1930 e 1940. Ganhou o Oscar de Melhor Atriz em 1948 pelo filme “The Farmer’s Daughter” (PT:A Ambiciosa) (1947). Loretta teve um relacionamento amoroso com o ator Clark Gable, tendo com ele uma filha (Jude Lewis). Por ser casado, ela criou sozinha sua filha com Gable. Na década de 1950 tornou-se empresária e dona de uma empresa de cosméticos, profissão da qual foi bem sucedida. Ainda foi premiada com dois EMMY’s e um Globo de Ouro. Possui uma Estrela na Calçada da Fama de Hollywood Boulevard. Loretta Young morreu no dia 12 de agosto de 2000, aos 87 anos na cidade de Los Angeles (EUA).



Gloria Stuart: nasceu no dia 04 de julho de 1910, em Santa Mônica, Califórnia, nos EUA. Seu nome verdadeiro era Gloria Frances Stewart. Começou a carreira no teatro na Brodway, no início dos anos 1930. No cinema, seus principais filmes foram “The Old Dark House” (1932) e “The Invisible Men” (PT: O Homem Invisível) (1933). Fez filmes de média repercussão pelos estúdios da Universal Pictures e 20Th Century Fox. Aposentou-se da carreira de atriz em 1946, dedicando a artes plásticas. No ano de 1997, aos 87 anos foi escalada para o grande sucesso de bilheteria, “Titanic”, onde interpretou a idosa Rose DeWitt Bukater, a qual narra a história do grande naufrágio ocorrido em 1912. O sucesso de sua personagem a fez renascer para o cinema. Ganhou o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante em 1997, sendo a mais velha atriz a receber tal prêmio. Ainda participou de mais dois filmes, um em 2000 e outro em 2004. Gloria morreu em 27 de outubro de 2010, aos 100 anos na cidade de Los Angeles, Califórnia.




Gina Lollobrigida: nascida em 04 de julho de 1927, em Subiaco, Itália, sendo uma famosa atriz e fotógrafa europeia. Considerada um símbolo da beleza nos anos 1950, participou de filmes como “Alina” (1950) e “Fanfan a La Tullipe” (1952). “Lollo”, como é conhecida, fez carreira em países como França e Estados Unidos. Atuou no filme “Beath The Evil” (PT: O Diabo Riu Por Último) (1953) ao lado de Humprey Bogart. Após sua fama ser internacional, foi considerada uma das mais belas atrizes do mundo, nos anos 1950 e 1960. Recebeu o Globo de Ouro em 1961. Nos dias atuais aos 88 anos, é uma atriz aposentada. 

Myrna Loy: nascida Myrna Adele Willians em 02 de agosto de 1905, na cidade de Redsburg, Montana, EUA. Sua carreira iniciada em 1925 estendeu-se até o ano de 1982. Fez um pequeno papel no filme “What Prince Beauty?” (1925), e por seu visual exótico logo foi contratada pelos estúdios da Warner Brothers. Participou também do clássico filme mudo “Ben-Hur: A Thale of the Christ” (PT: Ben-Hur) (1925). Participou também do primeiro filme falado, “The Jazz Singer” (PT: O Cantor de Jazz). Fez uma boa transição para os filmes sonoros e sua carreira decolou na década de 1930 e 1940. Durante a Segunda Guerra Mundial, deu um tempo a sua carreira de atriz e dedicou-se a angariar fundos para as tropas americanas, lutando ferozmente contra a imagem de Adolf Hittler, tendo estado na lista negra do nazista. Por sua contribuição ao cinema, Myrna Loy recebeu o Oscar Honorário em 1991, o qual não pode aparecer, gravando um vídeo em sua residência para agradecer a premiação. Foi sua última aparição nas telas. Faleceu o dia 14 de dezembro de 1993, aos 88 aos na cidade de Nova York.



Bessie Love: nascida como Juanita Horton em Midland, Texas, EUA, no dia 10 de setembro de 1898. Começou sua carreira em 1915, nos primeiros anos do cinema americano. Em 1919 escreveu o roteiro do filme “A Yankee Princess”. Por sua atuação no filme sonoro “The Broadway Melody” (1929), foi indicada ao Oscar de Melhor Atriz. O prêmio acabou ficando com a atriz Janet Gaynor, que foi a primeira mulher a receber tal prêmio. Durante Segunda Guerra Mundial, juntou-se a Cruz Vermelha, auxiliando em cuidados médicos nas tropas aliadas. Sua carreira também foi em filmes falados, agora estes com menos notoriedade. Sua carreira foi encerrada no ano de 1983, quando se aposentou. Possui uma Estrela na Calçada da Fama de Hollywood Boulevard. Bessie Love morreu no dia 26 de abril de 1986, aos 87 anos, em Londres, Inglaterra.



Lupe Velez: nascida como Maria Guadalupe Vélez de Villalobos, em San Luis de Potosí, México, no dia 18 de julho de 1908. Começou sua carreira no teatro, como dançarina, no início da década de 1920, em seu país natal, antes de se mudar para os Estados Unidos, onde fez carreira em filmes mudos. Seus principais filmes são “The Wolf Song” (1927), ao lado de Gary Cooper, “Lady of the Paviments”(1928), sob a direção de Cecil B. DeMille. Sua transição para os filmes sonoros foi vista com bons olhos pelos produtores e a crítica. Ainda trabalhou em alguns filmes mexicanos e europeus. Devido ao seu romance com o ator Harald Maresch, engravidou, pelo qual é considerado motivo de seu suicídio já que este era casado, feito por ingestão de medicamentos, no dia 13 de dezembro de 1944, na cidade de Beverly Hills, Califórnia.  Possui uma Estrela na Calçada da Fama de Hollywood Boulevard por sua contribuição ao Cinema. 

Marion Davies: nascida em 03 de janeiro de 1897, em Nova York, sob o nome de Maria Cecília Dourvas. Foi uma das estrelas do cinema mudo nos seus primórdios tempos. Fazia em média 3 filmes por ano. Seus principais filmes são “Cecilia of the Pink Roses” (1916) e The Patsy (1928). Trabalhando geralmente em comédias, Marion é consideradas por muitos como "A Rainha das Comédias Silenciosas". Marion Davies manteve um relacionamento amoroso com Charlie Chaplin durante alguns anos, e em virtude disso, no ano de 1924, seu amante William Randolph Hearst supostamente assassinou o produtor de filmes Tomas Ince, a bordo de um navio, onde Tomas teria sido confundido com Chaplin por seu algoz. É muito lembrada por sua badalada vida social e seus relacionamentos amorosos. Faleceu em virtude de um câncer, no dia 20 de setembro de 1961, aos 64 anos em Hollywood.



Tallulah Bankhead: nasceu em 31 de janeiro de 1902, na cidade de Hunstvile, EUA, seu nome verdadeiro era Tallulah Brockman Bankhead. Tallulha foi uma atriz de teatro e de filmes, tendo feito  carreira na Broadway entre 1918 até 1968, ano de sua morte. Seus principais filmes são as comédia até os dramas, tais como “Camille” (PT: A Dama das Camélias) (1930), “Little Foxes” (PT: Pérfida) (1939) e “Lifeboat” (1944). Um dos seus últimos grandes trabalhos foi na série de televisão “Batman” (1967), onde interpretou a Viúva Negra. A atriz morreu em 12 de dezembro de 1968, aos 66 anos, em Nova York, possuindo uma Estrela na Calçada da Fama de Hollywood Boulevard.




Elizabeth Taylor: nasceu no dia 27 de fevereiro de 1932, em Londres, com o nome de Elizabeth Rosemond Taylor. Começou sua carreira em Hollywood trabalhando para os estúdios da Universal Pictures, por um curto período tempo, em meados de 1940. Sua beleza e elegância fizeram sucesso na clássica Hollywood dos anos 1950. Protagonizou sucessos de bilheteria e crítica, dos quais se destacam “Cleópatra” (1963) e “Who’s Afraid to Virginia Wolf? (PT: Quem tem medo de Virginia Wolf?) (1966). A atriz britânica ganhou o Oscar de Melhor Atrizpor duas vezes, o primeiro por sua atuação em “Burterfield 8” (PT: Disque Burtefield 8)(1961) em 1961 e o segundo por sua atuação em “Who’s Afraid to Virginia Wolf?” em 1967, ainda recebendo o Globo de Ouro por sua atuação em “Suddenly, Last Summer” (PT: De Repente, no último verão), em 1960. Aposentou-se em 2011, por problemas de saúde, vindo a falecer no mesmo ano, em 23 de março, em Los Angeles. Por sua estelar carreira, Liz, como era conhecida, possui uma Estrela na Calçada da Fama de Hollywood Boulevard. Foi eleita pelo AFI como uma das 25 maiores atrizes lendárias do Cinema Americano, sendo a 7° Lenda Feminina do Cinema Americano.



Jean Harlow: Harlean Carpenter nasceu em 03 de março de 1911, em Kansas City, Missoury, EUA. A eterna “Loira Platinada do Cinema Americano” (Blonde Platinum), iniciou sua carreira em 1928, fazendo pequenos papéis em filmes mudos. Em 1930 protagonizou seu primeiro filme “Hell’s Angels” (PT: Anjos do Inferno), o qual alavancou sua carreira. Por meio de seu produtor Howard Huges, assinou contrato com a MGM, e a partir daí sua carreira decolou. Supostamente seu marido Paul Bern, a agredia durante o ano (1932) em que estiveram casados. Divorciada de Bern, seguiu sua carreira estelar na década de 1930. Durante as filmagens de “Saratoga” (1937), Harlow adoeceu e acabou falecendo, no dia 07 de junho de 1937, aos 26 anos, em Los Angeles. As causas da morte são apontadas como resultados das agressões sofridas por seu segundo esposo, Paul Bern. Por sua contribuição ao cinema, Jean Harlow foi eleita como a 22° Lenda Feminina do Cinema Americano, eleita pelo AFI. Possui uma Estrela na Calçada da Fama de Hollywood Boulevard.



Dolores Costello: nascida em 17 de setembro de 1903, em Pittsburgh, Pensilvânia, foi uma atriz norte-americana, considerada por muitos como a “Deusa dos Filmes Mudos” por sua beleza e graciosidade. Trabalhando para os estúdios da Warner Brothers, fez inúmeros filmes, tais como “The Seas Best” (PT: A Besta do Mar) (1926). Era casada com o também ator John Barrymore, com quem teve dois filhos, Jhon Drew e Dolores, também avó da atriz Drew Barrymore. Após o surgimento dos filmes sonoros, faz alguns filmes, mas com menos frequência, sendo seu último filme “This is the Army” (PT: Isso é o Exército) (1943), e logo, dedicando-se a vida de produtora numa fazenda de abacates. Por sua contribuição ao cinema, possui uma Estrela na Calçada da Fama de Hollywood Boulevard. Faleceu em decorrência de um enfisema, em Fallbrook, Califórnia, no dia 01 de março de 1979, aos 75 anos de idade.



Veronica Lake: nasceu em 14 de novembro de 1922, em Nova York, sendo seu nome de batismo Constance Frances Marie Ockleman. Veronica é lembrada por seus papéis de “femme fatalle”, em filmes noir que fez durante a década de 1940. Mudou-se para Hollywood com sua família em 1938, conseguindo um contrato com algumas produtoras. Seus filmes mais lembrados são “I Wanted Wings” (1941), “I Married a Witch” (PT: Casei-me com Uma Feiticeira) (1942) e “The Blue Dahlia” (PT: A Dália Azul) (1946). Em 1949, após o apogeu de sua carreira, decide abandonar a profissão de atriz, vindo a atuar em poucas produções cinematográficas em décadas seguintes. Possui uma Estrela na Calçada da Fama de Hollywood, Boulevard por sua contribuição ao Cinema Americano. Faleceu em 07 de julho de 1973, aos 51 anos, em decorrência de Hepatite, em Burlington, Vermont, EUA. 

7 comentários:

  1. Muitas mulheres lindas e eternizadas nos corações dos amantes do cinema.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado pela vista e pelo comentário Aquiles. Elas são eternas na mente de nós, amantes do cinema. Um abraço!

      Excluir
    2. Muito obrigado pela vista e pelo comentário Aquiles. Elas são eternas na mente de nós, amantes do cinema. Um abraço!

      Excluir
  2. amei sua pagina amigo me enteresso muito pelas grandes atrizes mulheres que deram nome ao cinema obrigada erasmo pelo seu carinho bjs

    ResponderExcluir
  3. Adorei a lista! Anotei vários filmes que quero assistir... Parabéns pela ideia!

    ResponderExcluir
  4. Oi TB ? Achei bem interessante tudo que só que encontrei dois 1 gloria não ganhou o Oscar por sunset boulevard ela concorreu a vencedora do ano foi Judy hollyday que foi considerada uma das zebra da historia da premiação 2 Jean harlow nao chegou a se divorciar de Paul bern apenas um mês apos o casamento ele cometeu suicídio disparando um tiro na própria cabeca !

    ResponderExcluir